quinta-feira, dezembro 06, 2007




Quando eu me perco é quando eu te encontro
Quando eu me solto seus olhos me vêem
Quando eu me iludo é quando eu te esqueço
Quando eu te tenho eu me sinto tão bem

Você me fez sentir de novo o que eu
Já não me importava mais
Você me faz tão bem
Você me faz, você me faz tão bem

Quando eu te invado de silêncio
Você conforta a minha dor com atenção
E quando eu durmo no seu colo
Você me faz sentir de novo
O que eu já não sentia mais

Você me faz tão bem
Você me faz, você me faz tão bem
Você me faz, você me faz tão bem
Você me faz, você me faz tão bem

Não tenha medo
Não tenha medo desse amor
Não faz sentido
Não faz sentido não mudar
Esse amor

Você me faz, você me faz tão bem...

Vitrola: Desesperadamente em busca dessa música.
* Removendo pedras e plantando flores.

quarta-feira, novembro 28, 2007





Não havia nada que eu pudesse fazer, mas fiz.
Alcançar tal coisa era impossível, eu a busquei.
Não havia mais esperança, eu a mantive.
Não restava tempo para mais nada, mas eu lutei até
a última hora.
Não queriam, mas eu insisti.
A última palavra havia sido dada, mas eu ainda falei.
Enfim, estou passando pela vida e tudo vai acontecendo...
Portas se fechando, e eu as abrindo.
E a felicidade está em mim,pois, se nada tenho, por tudo lutei.
E sem me arrepender de nada,no futuro poderei dizer:
Tentei!

Pra bom entendedor: Who Knew...

quarta-feira, outubro 10, 2007





Beirando os 25

Essa semana tenho pensado muito sobre os meus vinte e cinco anos que se aproximam. Quanto mais eu penso, mais me vem a memória os fatos vividos e presenciados por mim nesta minha vida.
Alguns alegres, outros tristes, muitos assuntos acabados e alguns inacabados.

Muita dúvida e muita massa cinzenta queimada de tanto pensar, pensar e pensar! Sempre fui muito impulsiva na hora de falar, mas nem tanto na hora de agir. Hoje em dia tenho pensado bem antes de fazer qualquer coisa e me pergunto se esta é a maneira certa. Não seria melhor, fechar os olhos e me jogar? Gato escaldado...

Na verdade, ás vezes eu gostaria de ser outra pessoa...gostaria de ser menos emotiva e parar com essa mania burra de sofrer por pessoas e causas.
Ás vezes penso que nada mudou, mas abro os olhos e me vejo aqui...em outra cidade, em outra casa, em outro mundo.
Queria ser mais constante e sempre andar em linha reta.

Tenho tantos planos e tantos desejos possíveis e alguns, digamos que...necessitam de uma força maior do que a minha para serem de fato,reais.
Me engano e desengano constantemente.
A diferença entre querer e precisar...Eu quero tudo que preciso e preciso de tudo que quero!

Quero tudo. Todas as sensações. Todas as emoções. Todos os gostos, sabores e aromas.
Quero saltar, dançar, rodopiar e cair no chão tantas vezes forem necessárias.

Não posso dizer que de nada me arrependo,pois algumas decepções temperaram uma fase muito recente da minha vida. Entretanto...no frigir dos ovos, que é o mais importante, posso dizer que, nao me arrependo de nada mesmo! Aprendizado é a palavra correta.
Aprendi bastante e tento aprender todo santo dia! Mas...não tenho culpa se tenho uma cabeça dura feito pedra.

Tempo, querido tempo,
Não sei se quero que passe rápido ou lentamente.
Passe como passa o passarinho...livre.


Sabedoria é o que desejo pra mim.

Parabéns antecipadissímos!



Ouvindo: Maria Bethânia - Pirata.

sexta-feira, outubro 05, 2007




Misunderstood


Should I? Could I?

Have said the wrong things right a thousand times

If I could just rewind, I see it in my mind

If I could turn back time, you`d still be mine

You cried, I died

I should have shut my mouth, things headed south

As the words slipped off my tongue, they sounded dumb

If this old heart could talk, it`d say you`re the one

I`m wasting time when I think about it

I should have drove all night, I would have run all the lights

I was misunderstood!

I stumbled like my words, Did the best I could

Damn, misunderstood...

sexta-feira, setembro 28, 2007





E lá estava eu...ali no canto da parede.
Sozinha, desconsolada, vendo a vida passar, a minha vida passar sem mim.
Com pessoas ao redor tirando fotos minhas e dizendo: "Nooossssaaa, que corajosa ela é. "Que bonita ela é".

Cansada de toda essa temperatura que nao se decide e todos esses R's puxados.

Estou cansada...estou me sentindo sozinha...e ao mesmo tempo, pressionada por todos os lados.
Saudade da Mãe...
Saudade do Pai...
Saudade dos Irmãos...
Saudade dos Amigos...
Saudade da Vó...

Saudade.

do quarto...da casa...

quinta-feira, setembro 27, 2007




Estávamos conversando sobre confiança.E lá pelas tantas, percebi que nao apenas eu, mas as pessoas que estávam discutindo comigo sobre o tema em questão, já haviam levado um belo pé na bunda de alguém, em nome da tal "confiança". Nao me surpreendeu pois,ouví-las que jamais confiariam em alguém,que contam nos dedos o número de amigos verdadeiros e que nao contam mais seus anseios, seus planos, esperanças e segredos pra todo mundo. Eu também sou assim, me tornei assim.

Já me arrependi amargamente por ter contado meus segredos pra alguém. Já me machuquei profundamente por ser transparente demais. Querer ajudar e proteger o mundo. A super Rachel entra em ação!
O engraçado é que os super-heróis sempre combatem a maldade, protegem o "mundo e os fundos". E quem os protege?
Tentar mudar não é tarefa fácil, porém não chega a ser impossível.Deixar de ser super herói ou super heroína é apenas uma questão de querer. Não querer mais ser feito(a) de bobo(a)!

Não quero quantidade, quero qualidade. Sempre foi assim e sempre será.

**Confiança é o ato de deixar de analisar se um fato é ou não verdadeiro, entregando essa análise à fonte de onde provém a informação e simplesmente absorvendo-a.

Confiar em outro é muitas vezes considerado ato de amizade ou amor entre os humanos, que costumam dar provas dessa confiança.

A confiança é muito subjetiva porque não pode ser medida, é preciso ter confiança em quem se confia para poder confiar, o que torna a confiança um conceito intrínsico.

Confiança é o resultado do conhecimento sobre alguém. Quanto mais informações corretas sobre quem necessitamos confiar, melhor, formamos um conceito positivo da pessoa.

O grau de confiança entre duas pessoas é determinado pela capacidade que elas têm de prever o comportamento uma da outra. Também é "a expectativa que nasce no seio de uma comunidade de comportamento estável, honesto e cooperativo, baseado em normas compartilhadas pelos membros dessa comunidade". Quando isso ocorre, tenho condições de prever o comportamento do outro em uma dada circunstância. Confiança é previsibilidade do comportamento. Ao observar o comportamento de alguém, somos capazes de identificar os valores que determinam por que as pessoas se comportam de uma determinada maneira. Portanto, quando digo que confio em alguém, estou querendo dizer que: a) pertencemos à mesma comunidade de valores, e b) sei que ele estará tão orientado para atender a meus/nossos interesses quanto eu próprio estaria se estivesse no lugar dele. Quando isso acontece, as pessoas não negociam: elas são capazes de entregar um cheque em branco e assinado.

Assim, a quantidade e a freqüência das negociações podem ser indicadores de que nem tudo vai bem. Se a oportunidade de negociar pode ser um indício de relações democráticas e igualitárias, o excesso de negociações é um indicador seguro de falta de confiança porque, no limite, quando eu confio totalmente, não negocio. Assim, quanto maior o número de negociações, menor a abertura entre os interlocutores.

Mesmo quando duas pessoas possuem fortes vínculos afetivos - marido e mulher, por exemplo -, existem situações em que eles têm de negociar, porque um não confia na decisão do outro e isso não tem, em princípio, nada a ver com honestidade, mas sim com a incapacidade de prever o comportamento do outro. Um exemplo: numa sexta-feira à noite, voltando para casa, o marido está planejando ir ao cinema, pois há um filme a que ele quer muito assistir. Ao mesmo tempo, a mulher deseja ir ao teatro. Se um deles deixar a decisão nas mãos do outro - em confiança -, o desfecho será ganha/perde. Se decidirem negociar, deverão explorar os reais interesses em jogo. Se o que eles desejam é, realmente, assistir ao filme ou à peça, possivelmente cada um irá para seu lado.

Tecnicamente, pode-se dizer que, nesse caso, eles não confiam um no outro, ainda que em outras dimensões importantes do casamento a confiança seja total e irrestrita.

A rapidez na solução do impasse dependerá do grau de abertura existente entre os dois. Imagine que o marido teme abrir seus reais interesses para a mulher, com medo de magoá-la. Como resolver o impasse? Com abertura. Ou seja, quanto mais rápida e francamente eles revelarem o que desejam, mais facilmente poderão resolver esse problema.

quinta-feira, setembro 06, 2007





Acompanhadas de um bilhete me deixam nervosa.

quarta-feira, agosto 29, 2007






Tô com sintoma de saudade...
Aos que não casaram,
Aos que vão casar,
Aos que acabaram de casar,
Aos que pensam em se separar,
Aos que acabaram de se separar,
Aos que pensam em voltar...
É tudo o mesmo amor, só que entre amantes existe sexo.
Não existem vários tipos de amor, assim como não existem três tipos de saudades, quatro de ódio, seis espécies de inveja.
O amor é único, como qualquer sentimento, seja ele destinado a familiares, ao cônjuge ou a Deus. A diferença é que, como entre marido e mulher não há laços de sangue, a sedução tem que ser ininterrupta.
Por não haver nenhuma garantia de durabilidade,
qualquer alteração no tom de voz nos fragiliza, e de cobrança em cobrança acabamos por sepultar uma relação que poderia ser eterna.
Casaram.
Te amo pra lá, te amo pra cá. Lindo, mas insustentável.
O sucesso de um casamento exige mais do que declarações românticas.
Entre duas pessoas que resolvem dividir o mesmo teto, tem que haver muito mais do que amor, e às vezes nem necessita de um amor tão intenso.
É preciso que haja, antes de mais nada, respeito.
Agressões zero.
Disposição para ouvir argumentos alheios.
Alguma paciência...
Amor, só, não basta.
Não pode haver competição.
Nem comparações.
Tem que ter jogo de cintura para acatar regras que não foram previamente combinadas.
Tem que haver bom humor para enfrentar imprevistos, acessos de carência, infantilidades.
Tem que saber levar.
Amar, só, é pouco.
Tem que haver inteligência.
Um cérebro programado para enfrentar tensões pré-menstruais, rejeições, demissões inesperadas, contas pra pagar.
Tem que ter disciplina para educar filhos, dar exemplo, não gritar.
Tem que ter um bom psiquiatra.
Não adianta, apenas, amar.
Entre casais que se unem visando à longevidade do matrimônio tem que haver um pouco de silêncio, amigos de infância, vida própria, um tempo pra cada um.
Tem que haver confiança.
Uma certa camaradagem, às vezes fingir que não viu, fazer de conta que não escutou.
É preciso entender que união não significa, necessariamente, fusão.
E que amar, "solamente", não basta.
Entre homens e mulheres que acham que o amor é só poesia,tem que haver discernimento, pé no chão, racionalidade.
Tem que saber que o amor pode ser bom, pode durar para sempre, mas que sozinho não dá conta do recado.
O amor é grande, mas não é dois.
É preciso convocar uma turma de sentimentos para amparar esse amor que carrega o ônus da onipotência.
O amor até pode nos bastar, mas ele próprio não se basta.
Um bom Amor aos que já têm!
Um bom encontro aos que procuram!
E felicidades a todos nós!
Artur da Távola

segunda-feira, agosto 27, 2007


Cuida De Mim
Pra falar verdade, às vezes minto
Tentando ser metade do inteiro que eu sinto
Pra dizer às vezes que às vezes não digo
Sou capaz de fazer da minha briga meu abrigo
"Tanto faz" não satisfaz o que preciso
Além do mais quem busca nunca é indeciso
Eu busquei quem sou
Você pra mim mostrou
Que eu não sou sozinha nesse mundo.

Cuida de mim enquanto não me esqueço de você
Cuida de mim enquanto finjo que sou quem eu queria
ser.
Cuida de mim enquanto não me esqueço de voc
Cuida de mim enquanto finjo... Enquanto fujo...

Basta as penas que eu mesmo sinto de mim
Junto todas, crio asas, viro querubim
Sou da cor do tom, sabor e som que quiser ouvir
Sou calor, clarão e escuridão que te faz dormir
Quero mais, quero a paz que me prometeu
Volto atrás se voltar atrás assim como eu.

Busquei quem sou
Você pra mim mostrou
Que eu não estou sozinha nesse mundo.

Cuida de mim enquanto não me esqueço de você
Cuida de mim enquanto finjo que sou quem eu queria
ser.
Cuida de mim enquanto não me esqueço de você
Cuida de mim enquanto finjo... Enquanto fujo...

segunda-feira, junho 18, 2007



Que não seja eterno posto que é chama, mas que seja infinito enquanto dure.

quarta-feira, junho 13, 2007


Numa moldura clara e simples Sou Aquilo Que Se Vê!

sexta-feira, abril 06, 2007

Quem sabe eu volte cedo...ou não volte mais.

quarta-feira, março 21, 2007


Entreguei minha vida, meus passos e minhas decisões nas mãos de Deus e acho que não há pessoa mais certa para tomar conta de mim.

quarta-feira, fevereiro 21, 2007

"Tudo posso naquele que me fortalece"

terça-feira, janeiro 23, 2007

Tem sorriso que parece choro
Tem choro que é por alegria
Tem dia que parece noite
E a tristeza parece poesia
Tem motivo pra viver de novo
Tem o novo que quer ter motivo
Tem aquele que parece feio
Mas o coração nos diz que é o mais bonito
Descobrir o verdadeiro sentido das coisas
É querer saber demais
Querer saber demais...
Sonho parece verdade
Quando a gente esquece de acordar
E o dia parece metade
Quando a gente acorda e esquece de levantar...